Afinal, o que avaliar ao realizar uma viabilidade de exportação? Veja agora!

Todo gestor sabe que, para alcançar o sucesso, é necessário inovar em produtos e processos, ao mesmo tempo em que se busca por novas oportunidades e mercados. Crescer a ponto de exportar produtos para outras regiões do globo representa uma exigência para marcas que desejam continuar expandindo horizontes.

Porém, antes de mais nada é preciso estudar muito sobre vendas complexas e a viabilidade de exportação. por isso, trazemos neste artigo os principais pontos de atenção que devem ser observados, entendendo melhor o funcionamento do processo de exportação.

Requisitos, desafios, caminhos mais indicados durante a empreitada… Está curioso? Então acompanhe o conteúdo!

Como funciona o processo de exportação?

A aplicação de esforços para iniciar um processo de exploração de bens e produtos pode ser uma excelente estratégia, principalmente quando a empresa atua em mercados internos mais desenvolvidos do que em outros países.

Entre os benefícios dessa decisão aparece o potencial de atingir mais consumidores, aumentar as vendas e continuar a expansão das atividades à procura de taxas de lucro maiores. Outro ponto vantajoso reside na redução do risco que uma empresa corre ao ficar atrelada às flutuações de apenas uma economia.

Ao diversificar os segmentos, um mercado em expansão tende a compensar eventuais perdas em outros países com economias em recessão, por exemplo. Diante de tais benefícios, é preciso que a empresa interessada em exportar seus produtos cumpra determinados requisitos de qualidade, aspectos sanitários, certificados de inspeção e habitações sobre mercadorias, aspectos obrigatórios para o credenciamento da venda no exterior.

O registo do exportador, obtido junto à Secretaria de Comércio Exterior ou na Delegacia da Receita Federal, é um exemplo de documento para exportação a ser angariado por todos os interessados na atividade. Porém, existem outros regulamentos exigidos pelos próprios países para onde se pretende enviar os itens.

Tais normativas demandam cumprimento pela organização de igual modo, sob pena de incorrer em multas, processos ou até mesmo impedimento de realizar negócios com o país. Portanto, podemos definir o processo de exportação em muitas etapas de adequações que envolvem praticamente todos os setores, como produção, logística, marketing, fiscal e financeiro.

O que observar para verificar a viabilidade de exportação?

Chegou o momento de saber que aspectos observar ao promover um estudo a respeito da viabilidade de exportação. Confira a seguir quais são os principais pontos de análise.

Monitore estatísticas do mercado

O estudo sobre o mercado consiste no primeiro passo para prever o sucesso ao fazer negócios fora do país. Avalia-se o potencial desse novo espaço e sua capacidade de receber entrantes.

Para tanto, busque pelas principais estatísticas do mercado, lembrando sempre de investigar apenas as fontes mais confiáveis, como órgãos do governo, entidades reguladoras, sindicatos, anuários do setor e publicações das consultorias especializadas.

Assim, é possível obter dados fidedignos sobre o nível de crescimento do mercado em relação ao PIB total do país, além de respostas a questões como:

  • Qual é a tendência projetada para os próximos anos?
  • E a quantidade de empresas participantes?
  • Qual a taxa de permanência, ou sobrevivência, das companhias?
  • Que tamanho de marketshare os principais players possuem?
  • E a quantidade da força de trabalho envolvida na indústria?
  • Que indicadores de desempenho são seguidos?

A finalidade de levantar esses números está em obter o máximo de informações possíveis a respeito do potencial de mercado a ser explorado.

Analise a concorrência

A análise da concorrência representa outro ponto fundamental, pois revela o nível de competição que o produto enfrenta. Como a sua empresa começa como novidade no mercado local, trabalhe muito bem para que a primeira impressão seja a melhor possível.

Portanto, avalie bem quais são os principais concorrentes e qual é o comportamento de compra do consumidor em relação a eles. As empresas conhecidas como referências de mercado (chamadas de benchmarks da indústria) merecem um cuidado especial, pois na prática são elas as que melhor atendem às demandas dos consumidores.

Vale a pena dedicar tempo em estudá-las até entender seus diferenciais. Agindo dessa forma, você desenvolve estratégias mais assertivas para iniciar no novo setor. Ao compreender quem são e como atuam os concorrentes, fica mais fácil identificar aquilo que é mais valorizado pelo cliente, abrindo espaço para a diferenciação e criação de uma vantagem competitiva sólida para os produtos.

Confira custos, tributos e precificação

Passada a etapa de estudo de funcionamento do mercado, chega o momento de detalhar todos os custos envolvidos no início do processo de exportação. Nessa fase, são detalhadas as despesas com as ações realizadas e o levantamento dos impostos aplicáveis à atividade. Tais informações cumprem papel crucial para a definição exata a respeito da política de preços usada na exportação.

É importante observar que existem muitos programas governamentais voltados ao incentivo para exportações. A depender da política econômica adotada, alguns setores podem receber privilégios como isenção de impostos e créditos com formas de pagamento diferenciadas ou mesmo com juros incentivados.

Sendo assim, tenha o auxílio de profissionais especialistas em questões tributárias e financeiras, a fim de identificar as melhores vantagens para o seu caso.

Cuide da qualidade da logística

Quando nos referimos às exportações, o peso dos processos logísticos tende a ser muito maior do que nas operações para venda no mercado interno. Isso acontece pois a complexidade das atividades logísticas cresce, envolvendo grandes distâncias, mais fases, uma maior quantidade de pessoas envolvidas, burocracias, certificações, licenças etc.

Portanto, sua empresa deve dobrar a atenção nesse quesito a fim de garantir que os itens cheguem a novos mercados dentro do nível de qualidade desejado.

Para atender tais exigências, muitas vezes se faz necessária a aplicação de mais recursos em sistemas de controle e na reestruturação de processos de produção. O objetivo? Conferir ao produto final uma durabilidade maior, capaz de suportar as etapas de transporte.

Optar pela exportação de produtos representa um caminho vantajoso para que organizações cresçam e lucrem. Não se trata, porém, de um processo fácil, pois demanda um cuidado minucioso sobre variáveis desde a fabricação do produto e seu transporte até as questões relacionadas à adequação legal e pagamento de impostos.

Cada uma das práticas pode ser melhor estudada antes mesmo do início dos negócios com outro país, por meio de um estudo prévio sobre a viabilidade de exportação. Isso demonstra a importância do estudo, para que eventuais falhas não se transformem em prejuízos nem provoquem novas consequências desastrosas.

Gostou do post? Quer aprofundar os conhecimentos sobre o tema? Então recomendamos que confira nossas dicas de como vender para fora do Brasil!

E-book - Guia prático sobre planejamento de vendas - Clique para baixar

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

giro de estoque na indústria - armazém com diversas caixas em estoqueconsumidor millennial - homem segurando um cartão de crédito na mão direita e um celular na mão esquerda