Tudo o que você precisa saber sobre a transformação digital

Quem acredita que a transformação digital na indústria é uma questão de “se acontecer” está cometendo um equívoco muito grande. Porque a verdadeira questão é “quando vai acontecer”, e a resposta é: agora. Muito além das circunstâncias de nossa vida pessoal, a tecnologia tem influenciado os diferentes setores empresariais e melhorado consideravelmente a performance na indústria.

Nesse cenário, voltar toda a sua operação e comunicação em direção ao ambiente digital tornou-se apenas a primeira etapa direcionada à prosperidade e ao progresso, e são justamente esses fatores que serão abordados neste conteúdo.

Conheça o conceito de transformação digital, como funciona, o impacto dessa nova era na indústria, os mitos que ela ajudou a superar, além dos passos e tendências dessa revolução do mercado. Boa leitura!

O que é transformação digital?

Quando as organizações adotam novas metodologias e soluções inovadoras na hora de produzir e fazer negócios com base em avanços tecnológicos estão participando ativamente do processo de transformação digital.

Portanto, se há mudança na execução de uma tarefa por meio da adoção de ferramentas digitais, pelo uso de tecnologia na indústria, ou até mesmo mudanças culturais a fim de substituir ou aprimorar o que existia anteriormente, por consequência, a transformação digital acontece.

Estamos falando de um processo no qual as marcas fazem uso das soluções tecnológicas com os objetivos de

  • aumentar a produtividade,
  • melhorar o desempenho,
  • garantir melhores resultados.

É uma modificação estrutural nas organizações, que confere à tecnologia um papel essencial e a transforma em protagonista nesse cenário.

É preciso destacar que a transformação digital não se trata de um produto ou uma solução disponível para compra, mas ela provoca efeitos em tudo relacionado à TI em todas as áreas.

transformação digital

Qual o impacto da transformação digital na sociedade e na indústria?

Essa é uma dúvida bastante comum, porém ela tem somente um problema: seu princípio está errado.

Afinal, quem busca conhecer quais são os impactos da transformação digital na indústria e na sociedade tenta simplificar o conceito de uma forma maior do que a abordagem rudimentar que abordamos antes.

Isso porque se a transformação digital fosse somente o aumento no volume de ferramentas tecnológicas usadas nas indústrias e nas casas das pessoas, aí sim faria sentido pensar em impactos na sociedade.

De acordo com o conceito que explicamos aqui, a lógica é invertida: as tecnologias trouxeram impactos para a sociedade. Isso, por sua vez, formou um cenário em que as marcas precisam passar pela transformação digital se quiserem se adaptar. Assim sendo, essa revolução é a consequência das mudanças ocorridas na sociedade, e não a causa.

Porém, afinal de contas, que mudanças são essas? Entre tantas, podemos citar:

  • a comunicação instantânea,
  • a possibilidade de se mobilizar pelas redes sociais,
  • o livre acesso a informações de todos os tipos.

Por exemplo, o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) já existia antes da internet. No entanto, a oportunidade de formalizar um descontentamento em canais como o Reclame Aqui, que podem ser acessados por usuários de qualquer lugar do mundo, é uma inovação nas empresas em seu ambiente digital que faz com que todas elas tenham mais atenção com a experiência e satisfação dos seus clientes.

Contudo, o qual a relação da transformação digital com tudo isso?

As metodologias ágeis e o foco no cliente são apenas algumas das questões que ilustram bem esse exemplo. Assim sendo, queremos dizer com esses aspectos que a transformação digital é uma reação ao novo comportamento e aos hábitos mais recentes dos consumidores, e não o contrário.

Quais os principais mitos sobre transformação digital?

Até aqui já foi possível ter uma ideia dos fortes impactos que a transformação digital causa em todas as áreas da sociedade e também na rotina das pessoas, certo?

Como resultado, isso exerce influência na forma como os negócios são fechados atualmente. No entanto, como muitas marcas ficam presas a algumas inverdades e mitos sobre o assunto, o grande desafio é que elas ainda não conseguem começar de fato uma estratégia de transformação.

Portanto, antes de abordar mais sobre a revolução digital, confira os principais desses mitos que é preciso tirar da mente agora mesmo e qual a maneira correta de pensar sobre cada um deles.

Esse assunto é só para empresas de tecnologia

Para alguns gestores é muito cômodo se esconder atrás do pensamento de que a transformação digital só deve acontecer para as indústrias e marcas que já nasceram inseridas em um contexto digital, como SaaS, e-commerces e outros empreendimentos “nativos digitais”.

Contudo, de forma alguma, esse não é o caso. Qualquer organização, não importa qual o segmento, consegue obter benefícios por desenvolver uma cultura que prioriza o ambiente digital.

Não por acaso, existem inúmeras soluções e ferramentas, gratuitas ou não, à disposição de praticamente qualquer modelo de iniciativa digital que seja possível imaginar, e isso não seria diferente no caso da indústria.

Tudo se resume a experiência do cliente

Outra narrativa falha é que a transformação digital se resume apenas em criar a melhor experiência do cliente possível. De fato, isso realmente importa, mas não é o bastante.

Vale destacar que a transformação digital é um processo que deve estar espalhado por toda as operações da indústria, então naturalmente não se restringe somente à experiência do cliente.

A transformação vem de pequenas iniciativas

Alguns líderes acreditam que deixar as iniciativas pequenas se desenvolverem por conta dos colaboradores, consequentemente, aos poucos a organização estará realmente digital.

Teoricamente, essa premissa pode até parecer que faz sentido, mas, na realidade, as coisas não funcionam assim. Isso porque a transformação precisa vir do topo.

Afinal, uma transição tão significativa demanda não só liberdade, mas sobretudo iniciativa dos gestores em desenvolver programas claros de mudança e implementá-los em seus empreendimentos.

Assim, a marca terá a chance de mudar de maneira eficiente e organizada, e os funcionários compreenderão o que se espera deles nessa nova forma de realizar o trabalho.

Quem vai executar a transformação digital é o setor de TI

Para garantir o nível de atuação que uma indústria digital demanda, a verdade é que a área de tecnologia da informação deve ser sólida e muito bem estruturada. Entretanto, afirmar que a transformação digital é responsabilidade só do time de TI é um equívoco enorme.

Diante disso, o que deve haver é uma aproximação entre os líderes de todos os setores e aqueles que vão colocar a tecnologia para funcionar, e não uma terceirização de responsabilidades dessa maneira.

Por fim, a equipe de TI é apenas uma das envolvidas na transformação digital de qualquer organização. Contudo, obviamente é importante sim assegurar que ela esteja afiada e pronta para atender às demandas do dia a dia, por meio de um ERP industrial, por exemplo.

Dependendo da indústria, é possível esperar para ver

A necessidade de inovação é algo latente, urgente e muito real no mundo todo e quem ficar de braços cruzados aguardando para ver o que acontece, fatalmente não vai gostar do cenário que vai encontrar pela frente.

Vamos imaginar, por exemplo, o agronegócio. Essa indústria a tempos atrás era praticamente sinônimo de atuação livre de processos tecnológicos. Por sua vez, hoje é uma das vertentes que melhor fazem uso da tecnologia a seu favor para otimizar processos, prever possíveis dificuldades e, devido a tudo isso, obter resultados melhores.

Desenvolver várias iniciativas digitais já é o bastante

Talvez esse seja o maior mito que gestores e responsáveis pela tomada de decisão nas indústrias acreditam. A ideia é mais ou menos essa: “se a minha fábrica já tem tantas iniciativas digitais em operação, já faço parte dessa transformação”.

Certamente é incrível fazer uso de estratégias como o marketing de conteúdo. Que, aliás, tem uma importante participação na transformação digital . Mas essas táticas são apenas parte da solução.

Nesse sentido, mantenha-se firme com a adoção de suas soluções digitais, mas não se iluda de que elas por si só já são a transformação.

transformação digital

Quais passos seguir para se adaptar à transformação digital?

Entendido esse papel da transformação digital na superação de desafios, vamos aos passos necessários para se adaptar a essa revolução? Afinal, não adianta apenas explorar os conceitos se não soubermos como colocá-los em prática na indústria.

Repense o negócio

Como a mudança não é apenas operacional, mas sim estrutural, redefinir a estratégia da sua indústria para o mundo digital é o primeiro passo.

Para tanto, faça uma análise do mercado e identifique como as novas tecnologias causarão impacto no negócio. Se a companhia quer definir onde é capaz de chegar, é preciso entender o contexto e as rupturas que surgirão.

Em outras palavras, trata-se de um exercício de previsão de demanda do futuro: imaginar um provável cenário e traçar um plano para atingir esse alvo, partindo da presente conjuntura.

Invista em uma mudança cultural

Não adianta desenhar planos audaciosos no papel se, durante a rotina, as pessoas envolvidas no projeto não abraçam a causa. Sem remodelar a cultura dos funcionários implicados no processo, talvez essa revolução seja facilmente abandonada.

Nesse sentido, sair da zona de conforto e deixar a comodidade de lado exige uma genuína mobilização cultural. Se os gestores não dão a devida atenção a essa etapa, todo um esquema de transformação digital pode ser frustrado devido ao medo de arriscar ou à falta de adesão.

Promova o desenvolvimento de habilidades

Outro passo muito importante é investir na capacitação do time para não começar um processo e ter que abortá-lo por falta de requisitos e condições de conduzi-lo ao ponto de gerar resultados. Isso porque os obstáculos técnicos estão entre os principais motivos de entrave na obtenção de sucesso na implementação de soluções inovadoras.

Dessa forma, qualificação e treinamento constantes são essenciais para que as ferramentas sejam planejadas, executadas e aproveitadas com a devida eficácia. Elabore um plano a fim de que a sua equipe desenvolva as habilidades necessárias para conduzir essa transformação com êxito. Tenha em mente que isso não é custo, mas sim investimento.

Avalie os processos

Talvez, por tradição ou costume, alguns processos de sua indústria aconteçam da mesma maneira há anos. Contudo, será que as etapas cumpridas atualmente ainda são de fato necessárias?

Avaliar os processos é a única maneira de descobrir isso. Analise os procedimentos de produção, seu ciclo de produtos e outras operações. Verifique se algumas delas podem ser automatizadas ou incorporar novas tendências, como a adaptação para mobile.

Renove algum fluxo baseado em tecnologia e experiência do usuário

Um bom ponto de partida para a transformação digital é a experiência do usuário. Embora a iniciativa não se limite apenas a isso. Depois de avaliar os processos, selecione um deles para testar opções que, por meio da tecnologia, sejam capazes de aprimorá-lo.

Experimente algumas possibilidades e cheque seus impactos no fluxo das operações. Avalie como funcionam os processos de implementação, aceitação e adaptação. Esse teste servirá de parâmetro para a adoção de inovações mais significativas.

Comece um projeto digital

A automatização de processos é somente o início. Visto que o objetivo final é, fundamentalmente a transformação

  • de operações,
  • de modelos de produção
  • e até mesmo da experiência do usuário.

Todos esses aspectos passarão por uma revolução em função da intensa exploração dos recursos digitais disponíveis. Afinal, tanto o mundo físico quanto os objetos serão gradativamente substituídos por opções digitais. Como já acontece com a Internet da Coisas.

Outro exemplo é a virtualização de serviços. Hoje os empreendimentos não precisam mais investir em roteadores, racks e servidores ou manter equipes volumosas para a manutenção dessas estruturas.

Eles têm a possibilidade de contratar virtualmente essas ferramentas e ter seus aplicativos operando em nuvem. Assim sendo, a um custo menor, os provedores de Cloud Computing oferecem esses serviços e ainda garantem eficiência e atualização. Trata-se de uma nova forma de interagir com clientes e funcionários, ancorada na experiência digital.

Engaje toda a indústria no projeto de transformação digital

Não é pelo fato de a revolução ser digital que ela deve ser delegada ao time de TI. Se o objetivo final é que a tecnologia permeie todos os processos, é preciso que todos estejam engajados. Tanto os colaboradores quanto quaisquer setores façam parte dessa transformação.

Para tanto, é primordial que haja um diálogo entre a área de TI e os outros departamentos. Nesse contexto, os especialistas em tecnologia devem conhecer exatamente quais são os processos e as demandas do dia a dia. A fim de que, em conjunto com o sistema da gestão, elaborem estratégias para digitalizá-los.

Digitalize a inteligência do negócio

Durante muito tempo, as técnicas eram vistas como uma saída para otimizar as operações de uma indústria, como:

  • a automação de processos,
  • organização da logística,
  • redução de custos e falhas,
  • registro e integração de dados.

Entretanto, a tecnologia hoje tem aplicações bem mais inteligentes. Dessa forma, ela não deve mais ser vista somente como um apoio operacional ao negócio, mas como uma ferramenta essencial para a tomada de decisões por parte da gestão.

Conduzir um empreendimento com base na experiência ou no feeling dos gestores, embora tenha sido a única alternativa ao longo de décadas, ainda é suscetível a alterações repentinas e bruscas do cenário econômico e a erros de percepção.

Atualmente, existem ferramentas como Big Data e Business Intelligence. Altamente capazes de processar um grande volume de dados externos e internos. Assim sendo, elas conseguem criar cenários e prever não só comportamento de mercado, mas também as principais tendências.

Respaldada por esses dados, igualmente a gestão se torna digital e fica capacitada a tomar decisões muito mais precisas. Em outras palavras, é como direcionar os rumos da indústria já ciente sobre o que acontecerá no futuro e, por isso, assegurar chances maiores de sucesso.

Explore ideias

A marca precisa incentivar iniciativas que explorem e apoiem novas ideias, porque a transformação digital consiste em criar um conceito. Em parceria com consultorias especializadas ou com o setor de negócios, deve haver abertura para

  • testar,
  • prototipar,
  • aperfeiçoar,
  • dar escala para inovações.

Quais as tendências da transformação digital?

De fato, o mundo está em constante evolução. Obviamente, a transformação digital faz parte disso e era de se esperar que ela se adaptasse a essas mudanças. Nesse contexto, diversas tendências surgiram. Conheça as principais delas a seguir.

Big Data

A quantidade de dados que os indivíduos produzem aumenta a um ritmo assustador, graças ao número de usuários de internet e ao crescimento das tecnologias de automação.

Quem espera obter êxito em uma estratégia de transformação digital, deve ter em mente que é primordial analisar corretamente todos esses dados. Com isso, é possível obter informações relevantes, acertar mais na tomada de decisão e traçar um plano de ação eficiente, obtendo mais vantagem competitiva.

Assim sendo, a melhor maneira de conseguir tudo isso é por meio do Big Data. Essa solução viabiliza a análise e interpretação de grandes volumes de informação, e isso dá mais eficiência e agilidade aos processos.

Internet das Coisas

A IoT — Internet of Things em inglês —, remete à conexão de diversas máquinas, equipamentos, dispositivos e objetos com a internet, além de computadores e smartphones. Esses itens, em conjunto com a automatização, auxiliam a indústria da seguinte forma:

  • coletam dados;
  • analisam informações em tempo real;
  • traçam planos de atuação com base nesses dados.

Ou seja, o conceito de Internet das Coisas vai além da simples conexão de instrumentos comuns à web. Trata-se de aproveitar as vantagens da internet para revolucionar a utilidade e as funções de qualquer tipo de equipamento, tornando o processo de produção muito mais eficiente.

Realidade Virtual e Aumentada

Outras duas fortes tendências que carregam a promessa de revolucionar a indústria são a Realidade Aumentada (AR) e a Realidade Virtual (VR). Afinal, com elas é possível elaborar novas maneiras tanto de criar quanto de entregar produtos que se adequem às demandas dos clientes.

Estamos falando de tecnologias que permitem aos compradores observarem a real escala dos objetos. Por exemplo, na indústria moveleira, com o uso de um óculos de VR é possível fazer um passeio virtual por uma casa decorada. Ou ainda usar um app de AR para experimentar como um móvel ficará na sala de jantar.

Essa funcionalidade é capaz de resolver um dos maiores problemas enfrentados por quem compra online. Especialmente porque nesse tipo de transação o cliente não consegue testar o produto pessoalmente antes de fazer seu pedido.

Inteligência Artificial e Machine Learning

Inteligência Artificial na indústria tem revolucionado a maneira como as marcas executam o marketing. Com a infinidade de dados coletados sobre os usuários, as companhias têm a chance de desenhar estratégias e criar soluções mais acertadas e personalizadas.

Além disso, como o Machine Learning, ou Aprendizagem das Máquinas não requer mais a análise humana, os processos e as operações ficam ainda mais eficientes.

Um bom exemplo das aplicabilidades dessas duas tecnologias são os chatbots, robôs que conversam com as pessoas por meio de mensagens. Por outro lado, dispositivos e equipamentos podem usar o machine learning com o objetivo de aprender com o usuário e adaptar suas funções.

Business Intelligence

Essa tendência da transformação digital consiste em analisar aspectos e estratégias que são capazes de ajudar na tomada de decisões de um negócio.

Principalmente quando essa ferramenta é acompanhada do Big Data, a coleta de informações e a mensuração de resultados por meio de indicadores de rentabilidade e desempenho tornam o BI ainda mais eficiente, e isso traz ainda mais vantagem competitiva para a indústria.

Além disso, os softwares de BI permitem acompanhar o trajeto dos compradores pelo funil de vendas em tempo real. Isso viabiliza a identificação de padrões de comportamento e acelera sobremaneira o ciclo de vendas.

Como vimos, o mercado passou a esperar que as marcas criem experiências digitais eficientes, e uma indústria que não se adaptar a essa nova proposta está fadada ao fracasso, pois será abandonada.

Por outro lado, a indústria que acatar as mudanças e se adaptar a um modelo mais ágil passa a ter potencial para ter mais sucesso do que nunca. Isso porque a transformação digital, essencialmente, significa analisar todos os aspectos da cadeia produtiva e descobrir como modernizá-los, para que tenham a chance de continuar a evoluir conforme a tecnologia evolui.

Se você gostou deste artigo, assine agora mesmo a nossa newsletter para receber conteúdos como esse em primeira mão!

transformação digital

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Fazemos parte do movimento #OpenWeStand

X